Aguada de Saldanha –Viragem da história

0
1286
Aguada de Saldanha –Viragem da história

The Portuguese seafarers where the first to discover the Cape of Storms and to land in the Western Cape.
Why South Africa is not a Portuguese speaking country like Mozambique and Angola?

A justificação para algumas viragens no curso da história são objeto de versões que se tornam mais populares quando associadas a incidentes de natureza mais dramática.
Uma questão que frequentemente se coloca, quando recordamos que os portugueses foram os primeiros a chegar ao Cabo da Boa Esperança, é o facto de não terem ocupado e colonizado uma das regiões estrategicamente mais importantes do mundo, e da Africa do Sul não ser também um país de língua lusíada, como as vizinhas Angola e Moçambique.

A-replica-of-one-of-the-caravelles-Bartolomeu-Dias-sailed-round-the-tip-of-Africa-which-he-called-Cape-of-Storms
A versão mais generalizada está relacionada com um trágico episódio ocorrido no dia 1 de Março de 1510, no lugar hoje conhecido por Saldanha Bay.
Era frequente para a navegação portuguesa visitar a região do Cabo, desde que Bartolomeu Dias abriu o caminho para a descoberta da India, principalmente para se reabastecer de água, ou para negociar com os nativos a compra de gado, daí a origem de nomes como Aguada de Saldanha.
Algumas dessas incursões deram origem a escaramuças com as gentes locais, causando mortos entre os mareantes Portugueses .
Na sequência de um desses recontros resolveram os capitães de uma flotilha, ancorada na angra de Saldanha, mandar a terra uma expedição punitiva composta de 150 homens, para castigar os agressivos autóctones.
O confronto não foi favorável às armas portuguesas, que sofreram 65 baixas, entre as quais 12 oficiais de alta patente.
Teria passado a navegação portuguesa a arribar muito mais a Norte, frequentando enseadas de população mais acolhedora, como a região de Inhambane em Moçambique, a que chamariam mais tarde a  “Terra da Boa Gente”.

Não são esses porém os verdadeiros motivos da Africa do Sul não ser um país de língua portuguesa.

O primeiro motivo foi a utilização de rotas de ventos e correntes mais favoráveis para alcançar  a India, que fariam do Brasil a escala preferida da navegação portuguesa rumo ao Oriente .
O trajeto escolhido pelos nautas portugueses evitava as correntes frias e tempestuosa rota do Cabo das Tormentas, fundeando nos quentes e amenos portos brasileiros da Baía e Porto Seguro, sulcando depois o Atlântico Sul , até aportar à Ilha de Moçambique , última etapa antes de  Goa .

A outra razão, bem mais importante, era o comércio com as civilizações evoluídas do Oriente, que oferecia a rota das Índias, e que fazia do continente africano uma parada de insignificante interesse.

Só em meados do Século XVII, duzentos anos depois das descobertas portuguesas, é que os Holandeses, que rumavam a Batávia , depois de terem perdido o acesso aos portos brasileiros, reconquistados por Portugal  após a Restauração, decidiram mandar Van Riebeck criar um posto de abastecimento para a sua navegação para a Malásia , que por seu turno tinham arrebatado a Portugal com a conquista da fortaleza de Malaca.
Nessa altura o ouro das Américas e as especiarias da India instigavam já a cobiça de outras nações europeias como a Holanda ,a Inglaterra e a França.

Jay Fernandes
Master’s Degree G. Ph. from the University of Lisbon. Academic and teacher. Television , radio and press reporter / commentator

LEAVE A REPLY